Série vício do mês: The Night Of

Vou de série em série, de vício em vício. Amo seriados. Me envolvo, crio teorias, fico vidrada. Pra mim, nada como chegar em casa, deitar na cama e me jogar em uma outra história. Se for suspense então… E essa é tão vício, mas tão vício, que a temporada ainda nem acabou e já quero falar dela.

The Night Of é a primeira série que eu assisto no HBO Now. Aliás, nunca dei nem tchum pra HBO Now. E aí descobri um mundo de novas séries e filmes (com o primeiro mês de assinatura grátis!!) de tirar o fôlego. Netflix que se cuide!

The Night Of.jpg

The Night Of é uma série nova de suspense que se passa em New York. Baseada na série da BBC “Criminal Justice”, ela contra a história do assassinato de uma jovem de 22 anos com uma história de vida complicada e problemas com drogas, a Andrea. O acusado do crime? Um jovem americano com descendência paquistanesa, Nasir Khan.

Andrea.jpg

Nasir é de família humilde e aparentemente um bom menino, tímido e calmo. Mas a polícia não tem dúvidas de seu envolvimento na morte de Andrea. Sua família luta para conseguir pagar honorários dos advogados enquanto Naz espera por seu julgamento em Rikers. E aí começamos a ver as facetas dos personagens, com seus dramas pessoais e suas transforamções, principalmente a de Naz dentro da prisão. E aí começam a surgir os questionamentos: Ele é um bom moço acusado injustamente? Ele é um bom moço que perdeu a cabeça? Ele é uma pessoa sombria, que guardava dentro de si ódio e rancor?

Naz

A história também trás como cenário questões culturais e políticas envolvento o preconceito sofrido por descendentes árabes depois do ataque terrorita de 11 de setembro (mesmo que estes sejam cidadãos americanos, e nunca tenham pisado em territórios árabes).

A fotografia da série é escura, sombria. O ritmo é lento e eletrizante ao mesmo tempo, o que mostra como a série é maravilhosamente escrita e dirigida. A série está a topo vapor, em sua primeira temporada, com 5 episódios disponíveis apenas! Toda segunda tem um novo e eu mal posso esperar pela segunda que vem!

Anúncios

No meio do caminho tinha uma ilha

Viver em Miami é assim: você pega um engarrafamento porque a ponte abriu pra uma lancha passar. Você sai de casa e tá sol, depois cai uma tempestade, e no final do dia o pôr-do-sol é incrível. Você pega o kayak, sai pra passear…. E dá de cara com uma ilha!

Foi assim que descobri a Sandspur Island. Eu moro no norte de Miami e sou vizinha de uma marina de barcos. Atrás da minha rua tem um canal (Biscayne Bay) e passar por ali sempre me rende surpresas agradáveis. Peguei meu kayak e saí. Após alguns minutos remando, parei numa praia que estava meio cheia. Ela não me pareceu estranha e logo logo identifiquei como o Oleta River, um parque estadual onde costumo fazer churrascos nos fins de semana. Mas como ali também se chega de carro, não fazia sentido pra mim ter o trabalho todo do kayak pra ficar ali. Então continuei remando, e parei em uma outra praia, numa ilha, onde estavam mais algumas poucas famílias, lanchas, kayaks, paddle boards e alguns cachorros (eu inclusiv estava com o meu). E foi uma das mais gratas surpresas ali da minha área.

Island 02

Sandspur Island é uma ilha pequena de clima bem agradável. A faixa de areia não é muito extensa, e os moradores oficiais da ilha são os simpáticos e famintos racoons.

Racoons.jpg

A ilha têm uma mata extensa e fechada onde pessoas se aventuram o tempo todo indo e vindo. Pelo que percebi, alguns aventureiros passam a noite ali. Achei restos de uma fogueira bem alta que parecia ter sido feita recentemente.

Island 01.jpg

Fiquei com vontade de ficar ali um tempão. Fiquei com vontade de só voltar dali há três dias. Fiquei com vontade de acender a fogueira, fazer um luau, uma roda de violão. Amo esses cantos escondidos no meio da cidade.

Island 03

Sim, Sandspur está no mapa. Está no meio da cidade. Não é um território 100% desconhecido. E ainda assim parece a Ilha de Lost….

Mapa

Então, pra quem vêm pra Miami, mora em Miami, passará por Miami, fica a dica: não contente-se com o que está nos guias de turismo. Miami tem muito, mas muuuito mais pra te oferecer!

Pegue seu kayak, sua lancha, seu carro, sua bicicleta, sua câmera… E se joga em Miami!

Quem não tem choker caça com cinto

Sou do tipo que inventa. Pego roupa do marido, coloco um cinto e vou. Corto blusa. Transformo um acessório em outro. Transformo cinto em choker (!).

(Se você tem um cinto fininho ou alguma corda fina perdida por aí em casa, dá uma olhada no que dá pra fazer!)

Making a Choker.png

Dica de Miami: Restaurante Lagniappe

Um ambiente rústico, informal, acolhedor e cheio de charme: assim é o restaurante Lagniappe em Midtown, Miami. Com programação diária de música ao vivo, um mundo de opções de vinhos (tintos, brancos, rosés, champagnes…), queijos, pães e entradas maravilhosas pra harmonizar com o vinho escolhido e um menu seleto, mas ainda assim delicioso!

1 O RESTAURANTE

Ao entrar, parece que nos transportamos pra um ambiente no passado: a decoração é rústica e descombinada. Sofás antigos, mesas de madeira e muitos tijolos completam o ambiente. O clima é totalmente informal: na parte de dentro não existem mesas, são apenas sofás, bancos, poltronas e algumas mesinhas de apoio.

2 ESCOLHA DOS VINHOS

Para os adoradores de vinhos, o Lagniappe satisfaz todos os gostos: com variadas opçõesd e tipos (branco, rosé, tinto…) e preços. Com taças a partir de U$8, e garrafas variando de U$24 até U$80.

3 COMER

De entrada, escolhe-se queijos e frios de seu gosto, que vêm acompanhados de uma cesta de pães, azeitonas e pastinhas. Pra comer, apesar dos pratos serem ótimos, não há muita variedade: escolhe-se a proteína (peixe, frango, carne vermelha ou uma opção para vegetarianos) e ela vêm acompanhada de salada e pão de milho. Além do cardápio limitado, você deve ir até o balcão, pedir seu prato, pagar e depois voltar pra buscar, tipo praça de alimentação de shopping center. O preço é U$14 dólares por prato, e o jantar vêm em pratos descartáveis e com talheres descartáveis. Nada fino, mas super gostoso!

4 VARANDAvaranda

Meu lugar favorito do restaurante é a varanda: com mesas e cadeiras de diferentes formatos e cores – aqui fica claro que o ambiente é tão despretensioso e descombinando e que esse é seu charme, árvores, luzes e se o clima estiver bom, até música ao vivo do lado de fora.

5 MUSICA

local da banda.jpg

Sim, música ao vivo. Todo dia têm e sempre uma programação diferente. Nos dias mais frios ou chuvosos, a banda fica num aconchegante cantinho na parte de dentro. Nas deliciosas noites de verão, do lado de fora. Achei um vídeo antigo mas que dá pra ter uma boa idéia do ambiente.

 

Pra ter um encontro romântico e informal, pra bater um papo com as amigas, pra comemorar um aniversário ou só pra conhecer um lugar diferente, o Lagniappe é uma ótima opção pra quem tá em Miami, quer um clima gostoso sem muita pompa e sem gastar muitos dólares!

O restaurante abre todos os dias, a partir das 7pm e fica no endereço: 3425 NE 2nd Ave, Miami FL 33137. Mais informações em: http://www.lagniappehouse.com

Dica de Programa: Wynwood Art Walk

Wynwood é um dos bairros mais descolados de Miami, com suas ruas recheadas de galerias de arte, lojas alternativas e as mais incríveis paredes grafitadas. E todo segundo sábado do mês ele é palco de um evento tão cool quanto a área: Wynwood Art Walk.

O Wynwood Art Walk é um evento que inspira e expira arte! As galerias ficam abertas até mais tarde, DJs tocam no meio da rua, pintores fazem seus quadros em cantos da calçada, músicos performam sua arte e, é claro, é um desfile de gente despretensiosamente descolada.

O “coração” do evento é no Wynwood Walls.

12665645_10153686633567713_389035040_n

Esse é o ponto central de Wynwood e também do Wynwood Art Walk, onde um bar e uma mesa de DJ são montados e as pessoas ficam circulando e apreciando o ambiente.

Esse vídeo mostra como o ambiente é um grande e delicioso lounge a céu aberto:

O ideal é ir lá sem um roteiro definido, ir entrando de galeria em galeria, de loja em loja, procurando um food truck que te agrade e de olhos bem abertos, apreciar tudo o que esse evento e esse bairro te proporcionam. Aposto que você sairá de lá cheio de inspirações e com as energias renovadas!

Dá uma olhada no que você pode encontrar por lá:

TITULO 1
As mais diversas comidas, desde árabe, passando por lagosta, indo pra opções de pizzas de forno a lenha e acabando com muitas opções de sobremesas, esses clássicos food trucks vão fazer você se sentir num filme norte-americano.

12736417_10153686633612713_83680071_n

Food Trucks + Ambiente Incrível

TITULO 2
Das mais variadas formas e cores: colagens, fotografia, pinturas, quadros, esculturas… Aqui vale de tudo! Mas independente da arte, todas elas têm em comum à pegada pop e moderna que eu particularmente amo.

TITULO 3
E não se deixe levar pelo preconceito de achar que aqui você só vai encontrar artesanato local ou artigos que você acha nos outlets: existem algumas lojas tão bacanas que você se pergunta porque não existem mais delas por aí.

TITULO 4
Essas fachadas demonstram como é incrível quando o comércio local tem a cara do bairro. Lojas comerciais fundem-se com arte, e dá vontade de entrar em todas!

TITULO 5
Artistas pintando, músicos tocando, cartazes de protesto, dançarinos performando entre os carros… Aqui vale de tudo, só não vale não se expressar!

TITULO 6
E, é claro, o movimento street art, que deu a cara de Wynwood, com sua arte no meio da rua: aqui cada parede se torna um grande quadro, um mais incrível que o outro! E ao andar entre as ruas, fique de olho: o Brasil está muito bem representado! Dentro outros artistas conterrâneos, Eduardo Kobra é um dos mais populares do momento, com suas cores e genialidade. Olha que demais essa parede que faz referência ao Star Wars e ao mesmo tempo traz uma mensagem super importante “Stop Wars!”


Wynwood… Como não amar?