Ame alguém que não desista de você

loveMesmo quando você quiser jogar tudo pro alto. Mesmo quando você achar que não dá mais. Quando parecer que você chegou ao seu limite. Ame alguém que não desista de você.
Mesmo quando o que você mais quiser no mundo é explodir e discutir. Ame alguém que te diga que vai ficar tudo bem. Que vai passar. Que vai dar certo. Porque você vai querer desistir. Você vai querer ir embora. Ame alguém que fique.

Porque ficar é mil vezes mais difícil do que desistir. E mais  verdadeiro também.

Série vício do mês: Stranger Things

ST.jpeg

Confesso que eu tinha um pouco de preconceito com Stranger Things. Eu sabia que a série tinha uma pegada meio extraterrestre, meio ficção científica, e confesso que essa não é muito a minha praia. Mas t-o-d-o mundo estava falando dessa série, então precisava matar minha curiosidade e saber se realmente era tudo isso que falavam. E é!

A série começa com o desaparecimento de Will, de 12 anos, na fictícia cidade de Hawkigs, Indiana, que quase não possui ocorrência de crimes. A polícia local, a família de Will e seus amigos começam a buscar o paradeiro dele e quando coisas esquisitíssimas começam a acontecer na cidade. Eles se decorrem então com experimentos secredos do governo, forças sobrenaturais e muito mistério

subtitulo-01
winona-ryder-stranger-things.jpgE esse foi o primeiro ponto positivo pra mim. Sou uma pessoa ansiosa e várias vezes vou dormir muito mais tarde que deveria pra dar um gás naquela série de episódios eternos. Stranger Things é curtinha – são 8 episódios – o que faz com que seja fácil acabar com a série em um fim de semana. E por só ter 8 episódios, em todos há emoção. Não existe aquela sensação de que os autores estão enrolando só pra ter mais episódios, sabe?

Subtitulo 02.jpgst-walkie
Mais exatamente no ano de 1983. E muito além do figurino e dos penteados da época – que geralmente são retratados em séries e filmes de época, o que faz de Stranger Things uma série especial é que também resgata “febres”, manias e parabóias da época. Jogos de RPG e Atari, experimentos militares secretos, walkie-talkies, toca-fitas, realidades paralelas… São alguns dos exemplos que você vai ver na série. E isso faz com que o espectador mergulhe fundo na atmosfera da época. Uma delícia!

subtitulo-03
header3-stranger-things-80s-movies.jpgBom, uma série que tem no elenco Winona Ryder não é de se esperar pouco, não é mesmo? Além dela, a série possui grande elenco, mas o destaque vai por carisma dos atores mirins. Finn Wolfhard (Mike), Millie Bobbie Brown (Eleven), Gaten Matarazzo (Dustin), Caleb McLauhlin (Lucas) e Noah Schnapp (Will) dão um show à parte. É muito carisma, talento e fofura pra atores tão pequenos, gente!

subtitulo-04stranger-things-8-the-clash-portable-tape-player-cassette-tape-case
Além da trilha sonora de abertura, que já dá um frio na espinha, a trilha sonora é marcada por clássicos do rock da época, como The Clash, Echo and The Bunnyman e Joy Division. É bem difícil acabar um episódio e não sair cantarolando “Should I stay or should I go now”.
A trilha sonora é tão boa que a Netflix fez uma playlist no Spotify chamada “Stranger Things” e que já tem mais de 160 mil seguidores!

subtitulo-05
stranger-thingsA primeira referência é já na abertura da série, que foi inspirada no trabalho de Richard Greenberg, criador de aberturas como Alien, Superman, Os Goonies e Viagens Alucinantes. E essa foi só a primeira das muitas referências usadas na série, com destaque para Stephen King, Steven Spielberg e John Carpenter. Além deles, há referências de “Poltergeist”, “O Enigma do Outro Mundo”, “E.T.”, “O Senhor dos Anéis”, “Star Wars”, “Cosmos”, “Arquivo X”, “Super 8”, “Resident Evil”, “Silent Hill”, “Sob a Pele”… Ufa! E mesmo com tantas referências, a série não perde sua identidade própria!

Se você ainda não viu Stranger Things, corre já pro Netflix! Pouca gente no mundo ainda não assistiu essa série incrível!

#SnapSave #LookDoDia

Já faz um tempo que eu venho falando aqui que ando numa fase “preguiça de me arrumar”, né? Aí você junta com a TPM. Aí você junta com um domingo à noite depois de um dia inteiro nublado meio cara de que vai chover. E aí temos um look clássico de domingo, bem confort! (Sim, o look é de domingo.. Tô um pouquinho atrasada!)

Look

Eu já contei nesse post aqui de como transformei um cinto em uma choker… Dessa vez peguei a corda de um cordão velhinho, abri ele, enrosquei no pescoço e dei um nó. Não ficou tão comprida quanto quando da vez que fiz com um cinto, mas ficou mais delicado!

14159700_10154183796132713_71218831_n

Oi, TPM

TPM.jpg

Oi, TPM. Você que me faz perder a paciência com tudo e todos, inclusive comigo. Oi, TPM. Você que faz com que meus olhos encham de lágrimas com aquela rádio melodramática que toca no supermercado em frente à minha rua. Oi TPM. Você que um segundo depois faz com que eu me irrite sei lá porquê a ponto de eu achar que eu vou explodir de tanta raiva. Oi, TPM. Você que me faz querer ficar deitada no sofá vendo Netflix e comendo brigadeiro o dia todo. Mas quem disse que você me dá forças pra ir fazer o tal do brigadeiro? Oi, TPM. Você que bate na minha porta todo mês e me faz parecer um pouco bipolar, um pouco depressiva, um pouco fora da casinha.

Oi, TPM. Nos vemos mês que vem?

5 lugares para assistir jogos do Brasil em Miami

Ainda em clima de Olimpíadas e de jogos do Brasil e aquela expectativa na torcida, nessas horas a gente daria de tudo pra se teletransportar, né? Morar em Miami têm das facilidades de piscar encontrar um brasileiro, um pastel e um Guaraná Antártica. E ter muitas opções de lugares pra se reunir e poder assistir aos jogos!

Separei aqui os meus 5 lugares favoritos pra assistir aos jogos do Brasil! Lá vai:

Duffys North Miami
Começamos pelo Duffy’s, uma rede de Sports Bar aqui da Flórida. Sports Bar é meio tradicional pra ver jogos, né? Mas esse é especial pela vista. Ele fica na beira da Biscayne Duffys FotoBay, com um deck com vista para a baía e onde é possível estacionar lanchas, iates, caiaques, pranchas de stand up paddle e etc (quer algo mais Miami do que chegar de lancha em um bar?). O visual é lindo e é diferente de outros bares da região, tem aquele climinha, sabe? Ele é bem despojado, bem pós-praia. Bem bacana!

Não vou mentir: o Duffy’s é cheio e se for um jogo grande,  o atendimento não será lá essas coisas. O preço é super em conta, principalmente se você sentar na varanda (o que pra mim é meio que obrigatório por causa da vista!). Ele também possui uma área com piscina e mesas que é esquema bar: achou mesa, sentou. E acho que eu nunca fui lá sem ter uma opção de happy hour no cardápio (com dose dupla de draft beer) e sem ter algum jogo passando. Eles passam 100% dos jogos!

Boteco Miami
Como o nome diz, é realmente um boteco. Eles se denominam como um bar festivo, com comida típica brasileira e música ao vivo (samba!!). Em alguns dias da semana tem feijoada. Em jogo, tem programação exclusiva também! E tem nossos aperitivos favoritos, tem caipirinha, tem bolo de cenoura com chocolate, coxinha, tem todas aquelas gordisses que amamos e que trazem um gostinho de casa! E em jogo do Brasil, é aquela bagunça (da boa) bem brasileira!

Clevelander
Clevelander é meio pool party meio sports bar na Ocean Drive, coração de South Beach, local super turístico. Ele também é conhecido como ESPN Bar, pois tem parceria com a ESPN e por isso Clevelander Fotomilhões de jogos passam lá. É um bar americano, então pode ser que você tenha que pedir pra mudar a TV pra o canal que esteja passando o jogo do Brasil. E tem que ser jogo transmitido por canais internacionais, claro (nada de brasileirão no PFC!). Mas é um ótimo lugar caso você queira emendar jogo do Brasil na praia, ou num passeio mais tradicional (leia-se: turístico).

Por estar na Ocean Drive, os preços não são lá tão baratos. Mas se você for no Happy Hour as promoções são bem em conta, e tem a famosa dose dupla.

Buffalo Wild Wings
Buffalo Wild Wings é uma rede de sports bar super tradicional americana, com franquias Buffalo Wild Wings Fotoem todo os Estados Unidos, Canadá, México e Filipinas. E quando eu digo tradicional, é tradicionalzão. A especialidade? Wings, é claro. Os famosos frangos fritos com milhões de opções de molho são a pedida do lugar, acompanhados de um chopp e um jogo na TV. Não tem como errar 🙂

Area Code 55.png
E pra finalizar, um clássico: churrascaria brasileira! Em Miami existem algumas opções de churrascarias, até mais famosas do que a Area Code 55 (que pra quem não sabe, é o código de área do Brasil): como Porcão, Texas de Brazil e Fogo de Chão. Mas eu gosto bastante da Area Code 55, principalmente por não ser tão cara em relação às outras e ter uma qualidade ótima: em almoço durante a semana, o rodízio sai a U$19.99. E o jantar final de semana (o preço mais caro) sai a U$34.99. Pra vocês compararem, a Fogo de Chão em almoço durante a semana sai a U$31.99. Ok, a diferença não é gigante, mas estamos falando de obamas né gente? E da mesma qualidade de carne. Mas qualquer que seja a churrascaria escolhida, assistir jogo em churrascaria é um clássico, né? E clássico é clássico, tem que respeitar 😉

E quando é o próximo jogo mesmo?